Creative Commons License
O conteúdo deste blog está licenciado sob uma Licença Creative Commons.

terça-feira, 3 de julho de 2007

Porque confio I

Mentir virtude ou defeito?
Talvez seja bom questionar antes porque é que se mente.
As pessoas mentem porque são egoístas. Mentem sempre em conveniência própria. Em função do seu eu.
É rápido, é fácil, e, quando se tem a ideia que ninguém conseguirá descobrir a verdade, fica uma sensação falsa de segurança... é tudo uma questão de eu, eu e eu.
Se não quero magoar alguém, EU minto.
Se um amigo pedir para mentir, EU minto (porque EU quero agradar o amigo).
Se ela fizer muitas perguntas, EU minto.
Se não quero que me aborreçam, EU minto.
Se quiser algo e for necessário, EU minto!
Etc... etc...

A natureza humana distingue-se pela consciência de si próprio. Mentir é um reflexo dessa condição. É o que nos torna diferentes dos animais irracionais. Temos a capacidade, singular, de mentir quando queremos, não importa se para nos proteger a nós próprios, se para proteger quem nos é próximo, mentimos porque nos convém, a nós e só a nós. É este egoísmo que decide no momento se mentimos ou não. Os animais têm camuflagens que usam por instinto, nós temos a mentira por consciência egoísta.

Como em tudo, há casos e casos. Em alguns deles, a noção exacta da real utilidade da mentira pode revelar-se como um princípio virtuoso. Pode fazer bem à auto-estima, pode, sem dúvida, salvaguardar outras pessoas de desilusões desnecessárias, pode muita coisa... porém não concordo que seja possível identificar como uma virtude. Mentir é o 1º passo para nos enganarmos a nós próprios. Ao mentir mentimos a nós próprios, e isto não é bom. É a tal noção de falsa segurança. Não me parece ser sustentável "crescer" com uma noção errada de confiança, e mentir é o mesmo que não confiar em nós próprios.
Por outro lado, não consigo encarar a mentira, ou a acção de mentir, como um defeito. Saber mentir é uma arte. E a arte de bem mentir não é defeito. Mentir mal e de forma inconsciente pode revelar-se um defeito, mas só nesses casos... de resto não é defeito, é saudável.

Sei que não gosto de mentiras. Sei que não gosto de mentir. Afirmar que não minto, seria mentira, porém afirmar que minto seria tão falso como o contrário. Talvez porque tenha a noção que não sustento mentiras. Gosto de esclarecer e ficar esclarecido. Detesto redundâncias, e as mentiras dão origem a redundâncias... exactamente porque não são sustentáveis, pelo menos ad eternum...

20 comentários:

Inês disse...

Pois... a mentira nunca é um bom caminho. Muitas vezes pode ser o mais fácil, mas mais tarde ou mais cedo traz complicações.
Muitas vezes também é uma maneira de dar algum "sal" a vidas monótonas e frustrantes.
É mau, sempre preferi sonhar a "fazer de conta", mas também gosto da minha vida.
Mas o post mostra alguma zanga... espero que passe sem deixar mágoas...

AlfmaniaK disse...

Inês
Fico sensibilizado com a preocupação, mas o post não tem qualquer referência com a minha realidade actual... hehehehe é apenas uma reflexão, como tantas outras.
Bjs

Cláudia disse...

Eu não sou capaz de mentir...
Fico muito corada, não olho nos olhos e começo a gaguejar...
Sou terrivel para mentir.
E como não minto, acho que ninguem mente e acabo por acreditar em toda a gente...
Sim, ingenuazinha...eheheh


Beijinho

Cláudia disse...

É verdade, obrigada pelos parabéns e por não teres perguntado quantos são ;)

Cláudia disse...

Sim, porque se perguntares agora...eu não respondo :)

(Xiça, 3 posts de seguida...mas sem intenção)

AlfmaniaK disse...

Cláudia

Acho que toda a gente consegue mentir... sem excepção. Alguns melhores que outros, mas lá se vai mentindo.
Eu próprio digo que não minto... mas lá está: é mentira ;)
Daqui a pouco estou a tropeçar no paradoxo de Epiménides... mas é inevitável que assim seja.
Sobre a ingénuidade também terei que abordar... mas fica para depois.


Não perguntei quantos fazes, porque li quantos fazias... sei que sou mais velho 1 primavera ;)


Pronto, assim já não vou perguntar... vou amuar! Pelo menos verifico que tens um mau feitio de aniversariante divertido :)

Bjs de parabéns!

Cláudia disse...

Vou te confessar algo que nunca disse a ninguem.
A minha idade real é 25 anos.
Quis tirar a carta mais cedo e falsifiquei o BI.
Pronto, só tu sabes este meu segredo.


(tens toda a razão, afinal até sei mentir :P:P )

AlfmaniaK disse...

Cláudia
Tão ruim... hehehehe
Por aqui não vale, sei lá eu se ficaste muito corada, se desviaste os olhos do monitor e se gaguejaste...
Mas foi bem jogado esse comentário!
:)))

Cláudia disse...

Pronto, vou-me confessar outra vez.
Isto hoje dava para ir ao confessionario...o mais certo era não sair de lá....e o padre sair directo para o Julio de Matos.

Então cá vai, não fui eu q escrevi o blog... pedi a uma colega...

(É nesta altura que me cresce o nariz...)

(A quantidade de vezes que eu minto por causa do teu post...e disse q não mentia...nota-se!!!)

Agora é que me vou mesmo...porque já começo a tornar-me chatinha :)

AlfmaniaK disse...

Cláudia
Ha! Ha!
Agora apanhei-te!!! A tua última frase é mentira. Certo? Não és chata e vais voltar, certo?

Cláudia disse...

Supostamente n ia voltar a comentar este post...

Como é que escreves em italico?(vês vou ter que voltar... nem q seja para aprender :) )

Cláudia disse...

Vim só agradecer...
(amanhã só faço um comentário.

Obrigada

É preciso por sempre os codigos???

Cláudia disse...

Um passarinho disse-me que fizeste anos num feriado...
Agora, tenho que ir pesquisar um certo blog, para ver em que feriado foi....

Ou será que vais poupar-me trabalho???

Cláudia disse...

You have mail...

Inês disse...

Ainda bem!

Rodrigo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
AlfmaniaK disse...

Inês
:)

Rodrigo
Grato pelo convite, mas não estou interessado em camisetas personalizadas, muito menos em publicidade gratuita!
Até mais

Angel disse...

Não gosto de mentiras nem de pessoas mentirosas.Vais já dizer que toda a gente mente, pois eu não diria. Umas sim é verdade, mentem, as outras ocultam a verdade, o que é diferente de mentir. Mentir pressupõe uma alteração da verdade, enquanto que ocultar é apenas não a mostrar toda.
Eu sou das que não mente, até porque não sou capaz. Nisso sou como a Cláudia que já comentou este post, fico corada, gaguejo, tremem-me as mãos, a voz e enfim, toda a gente percebe que ali há gato.
De uma forma geral prefiro a verdade nua e crua, principalmente quando sou eu a dizê-la aos outros. Sim, também sou egoísta, afinal sou um ser humano, certo? Acho que mesmo não mentindo somos sempre egoístas e olha que eu até me considero bastante altruísta, mas há sempre coisas que fazemos para nosso próprio bem e conforto.Talvez seja instinto de sobrevivência, não sei. Mas sei que quem começa a mentir tem tendência a usar cada vez mais esse subterfúgio para fugir à realidade, que nem sempre lhe agrada. É tipo Pinóquio, começa a habituar-se e depois não quer outra coisa.
Bolas, como eu escrevi.....e nada disse:p
Beijoca

Só sei k nada sei disse...

É isso mesmo amigo, a primeira pessoa a quem mentimos é a nós próprios. É portanto um acto egoista de nos deitarmos abaixo antes mesmo de magoar ou fazer felizes os outros... o pior da mentira é quando o fazemos sem ter sequer consciência disso. quantas vezes vivemos uma mentira pensando ser a verdade...

mau feitio disse...

Cláudia cuidado com este gajo. Tem tendência psicopatas.